DEMOCRACIA Y JUSTICIA

DEMOCRACIA É NOSSO LEMA!
JUSTIÇA É O NOSSO PROPÓSITO
A PAZ O NOSSO OBJETIVO.!

LA DEMOCRACIA ES NUESTRO LEMA
LA JUSTICIA NUESTRO PROÓSITO
LA PAZ NUESTRO OBJETIVO!

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

CONTO DE NATAL MÍSTICO





Estava tudo muito belo naquela pequena cidade do interior. A prefeitura enfeitara as ruas com lâmpadas coloridas em  alusão ao Natal que estava prestes a chegar. Flores de diversas espécies e cores foram plantadas no coração da praça onde se repintaram os bancos que serviam de descanso para os caminhantes,  recanto para os namorados  e santuário perene dos mendigos.
A pequena praça possuía como monumento um soldado carregando um fuzil, erguido em homenagem aos expedicionários que o Brasil enviou durante a Segunda Guerra Mundial,  e que, em vigília permanente, olhava fixo para o leste onde as pessoas subiam pela única rua que dava acesso ao único meio de transporte que chegava na cidade: O trem Zé fumaça. 
Existia a lenda de que o velho feiticeiro da cidade, o qual todo mundo achava demente e que escrevia estranhos símbolos no asfalto no começo de cada estação, teria realizado um feitiço fazendo com que  a massa de cimento adquirisse “Energia Espírito”, de maneira que pudesse ter o dom de enxergar o coração dos imigrantes e estranhos que chegavam a cidade . Quem trouxesse dentro de si algum mau propósito ou má intenção a ser cometido contra algum membro do povoado era expulso da mesma a golpes de coronhadas pelo espírito do eterno guardião. Estava tão arraigada a superstição que os assaltantes preferiam as cidades vizinhas para cometerem seus crimes e também a prefeitura, por via das dúvidas, mandava  lavar o esterco dos pássaros dos olhos frios da estátua a cada manhã para que o soldado pudesse melhor manter a sua guarda.
                   
   Num dos bancos da praça, José estava sentado, deprimido, ruminando sobre as provações que enfrentara no ano que terminaria  assim que virasse as folhas do calendário dentro de poucos dias. Fez uma retrospectiva de tudo que tinha tentado para resolver seus problemas ao longo dos últimos anos de sua vida: cartomantes, seitas e religiões das mais variadas, centros espíritas,  Umbanda e Quimbanda e  todas as bandas de anjos e demônios que existiam na região.
Tudo em vão! Olhando para o soldado de pedra sentiu-se também petrificado na sua vontade de resolver as coisas que o atormentavam . Comparou o peso da arma do soldado com o peso da sua já quase insustentável cruz que vinha carregando há muito tempo. Só não se suicidou por que sabia pela literatura Espírita, que o suicídio além de nada resolver, acarretaria um pesado Karma a  pagar pela covarde decisão.  Encontrava-se no auge do seu devaneio quando, sentou-se ao seu lado, o velho feiticeiro que começou a fitá-lo insistentemente. José percebeu que estava sendo observado e virando-se um pouco de lado quis evitar o olhar obstinado de tão estranho personagem. Este, suspeitando da iminente fuga daquele, foi direto ao assunto:-
_Eu sei onde podes encontrar a solução paras teus  problemas_ Uma onda de calafrio  percorreu a espinha de José indo  parar no couro cabeludo lhe arrepiando os cabelos. Olhando desconfiado para o velho, respondeu-lhe grosseiramente: _ E quem  disse ao senhor que estou com problemas?  E ademais, quem não os tem? O velho sem tirar o olhar profundo,respondeu :_ Sei que a maioria das pessoas, para não dizer todas, os tem, afinal as provações e sofrimentos fazem parte da Vida.. Porém, posso observar que as tuas estão causando graves prejuízos ao teu organismo. _
E como o senhor sabe?_ perguntou José, ainda em tom ríspido e desconfiado. _ Mergulhando no interior do teu corpo através das tuas pupilas. É o que modernamente chamam de “iridologia”. Mas deixa isso prá lá . O que importa é saber se estás interessado em achar  alguém que TE AJUDE A TE AJUDAR. José  não sabia mais o que pensar. Seria o velho realmente louco como comentavam? ou seria realmente um bruxo, como outros sustentavam.? Finalmente após refletir, decidiu seguir o conselho de uma voz vinda não sabia de onde, que lhe dizia: - Vá em frente, ao final de contas não tens nada á perder_.
   -Está bem, seu... como é seu nome mesmo?  Noelio. Podes me chamar assim” respondeu o velho. _ Está bem seu Noelio onde haverei de achar esse alguém que irá me ajudar?- No Morro do Chapéu-! respondeu o velho..  José deu uma risada sarcástica ao mesmo tempo que dizia para sim :“ só essa me faltava”!. O que estou fazendo aqui falando com um velho maluco, no meio da praça, quase ao meio dia e ainda marcando encontro no Morro do Chapéu” - Se decidires ir em frente e acreditar, espero-te na ladeira do morro as sete horas da noite ”. Tchau!  O velho Noelio levantou-se do banco e sumiu assim tão rápido como apareceu.

 O “Morro do chapéu” como a maioria o chamavam, era uma imponente montanha que se erguia num vale na divisa do município vizinho. Tinha a forma de um chapéu  daí o seu nome. Misteriosas luzes eram vistas em noites de lua cheia tanto no interior da montanha como algumas vindas do céu. Corriam boatos que bruxas e bruxos se reuniam para realizarem seus rituais, alguns para fazer o bem, outros para fazer o mal. José , na hora combinada, lá estava sentado numa pedra ao lado da ladeira que dava acesso á  montanha. O crepúsculo oferecia uma aquarela fenomenal, porém ele estava alheio para ver tamanha beleza naquele horário de verão.Estava mergulhado nos seus pensamentos que também lhe diziam que estava ultrapassando a linha divisória entre a sanidade mental e a loucura,sentado esperando por estranho personagem num lugar ermo, quando sentiu alguém às suas costas. Virou-se , e lá estava Noelio, com um sorriso largo, mostrando os poucos dentes que ainda lhe restavam na boca. José olhou para o relógio. Marcava sete da noite em ponto!
Subiram o íngreme morro. A lua cheia servia de farol e durante a subida, José foi  conhecendo toda a sabedoria que haviam naquele velho. Se falou sobre o Bem e o Mal, sobre a Vida e sobre a Morte, sobre Ego e Alma, sobre Carma e Reencarnação, sobre Destino e Livre Arbítrio . Das mensagens de Amor, Fé e Esperança que 0 Menino que em breve nasceria no coração dos cristãos, tinha legado para a humanidade. José  percebeu  como tinha sido surdo e cego espiritualmente, assim como o orgulho, o egoísmo e a cobiça no coração humano tinha causado tantas guerras e sofrimentos! O manto azul-escuro do céu já abrigava as pequenas e cintilantes estrelas quando chegaram  na entrada de uma gruta escavada nas rochas . Lá de cima  dava para  olhar as luzes da cidade  e as pessoas com  tamanho de formigas percorrendo frenéticas as ruas do comercio para comprar  os presentes do Natal que iria chegar no dia seguinte. Que bela vista -pensou- - Bom, chegamos!_ falou Noelio. Deverás  ficar aqui a noite toda em estado de meditação. Acende esta vela e procura ficar olhando para ela o maior tempo que for possível. Amanhã as sete da manhã virei te procurar. – Noelio, tirou uma vela de 7 dias cor violeta e um isqueiro  de um velho saco que trazia nas costas e despediu-se com um abraço.
José  procurou um lugar onde se acomodar, afinal iria ficar a noite toda em estado de oração e meditação. A noite de verão estava bem agradável no morro com uma suave brisa e a lua cheia iluminando como um gigantesco holofote. Pegou a vela e acendeu, colocando-a sobre uma pedra num lugar ao abrigo do vento, bem na sua frente. Sentou-se  ajeitando as costas na parede da caverna, encolheu as pernas, apoiou o queixo nos  joelhos e em posição quase fetal começou a sua viagem interior sempre olhando para chama da vela. Mergulhou dentro de sim e  a escuridão que tomava conta do seu subconsciente começou pouco a pouco a se dissipar. Isolou-se completamente do mundo exterior, do suave barulho do vento e do intermitente estrilar  dos grilos Foi entendendo as causas de tantos sofrimentos e “azares” que tomavam conta da sua vida. Entendeu que pela Lei do Carma da qual o Noelio tinha lhe falado, era ele o único responsável por tudo que estava sentindo. Compreendeu melhor que a Lei Cósmica de Causa e Efeito, não era somente uma lei da física senão uma lei que regia a existência de todos os seres vivos e que ninguém estava isento dela. Mas também soube da Lei da Compensação pois  fora recompensado pelo bem que nesta e outras vidas fizera. Veio á tona da sua consciência a Lei Aurea do Menino Jesus que advertira aos homens: “ Façam aos outros o que gostariam que os outros fizessem para você" 
 Agora estavam somente Ele e seu Eu interior, Ele e Deus!. Lembrou-se da frase que lera há muito tempo que dizia “Em algum lugar, em qualquer tempo indefectivelmente haverás de te encontrar contigo mesmo, e somente de ti depende que sejam as mais amargas de tuas horas ou teus momentos melhores”.
     Meu Deus! como tenho estado fugindo de mim mesmo! Quantas máscaras para me esconder! -pensou. Nesse instante começou a sentir uma onda de suave calor invadir-lhe o plexo cardíaco que foi subindo para a cabeça. O coração começou a acelerar.  No começo se apavorou pensando que seria um infarto ou derrame, mas depois acalmou-se à medida que a onda se espalhava suave e deliciosamente por todo seu corpo. Num momento inefável sentiu que todo o seu ser se fundia com o Tudo. Entrou num êxtase maravilhoso indescritíveis em palavras humanas. Sentia-se transportado e desintegrado em milhões de partículas quânticas a milhares de kilometros de distancias em frações de segundos . A  sensação era de Paz , Amor ,Alegria e  Êxtase ao mesmo tempo. Ele que já tinha experimentado todas as drogas ilícitas, o efeito de nenhuma delas igualava  a maravilhosa sensação do momento.  Depois essa onda arrebatadora foi diminuindo pouco a pouco e seu cérebro passou a emitir ondas alfas deixando-o numa deliciosa letargia. José acabava de experimentar um ORGASMO CÔSMICO!
Depois de algum tempo, retornou paulatinamente a seus cinco sentidos objetivos, e o  seu coração foi se  acalmando.
Nesse instante  Ele apareceu. Era um velho com o rosto parecido com o de Noelio, de longa cabeleira e barba branca. O seu olhar doce e profundo parecia atravessar-lhe a alma como uma espada. Empunhava  um cajado com um estranho símbolo na extremidade superior que já tinha visto em sonho. Vestia um longo manto branco envolto por resplandecente luz. A primeira coisa que lhe veio na cabeça foi : PAPAI NOEL! Mais depois de refletir, este era um ser diferente, quase um fantasma! A partir do momento que os olhares de ambos se cruzaram, fora lhe dado a conhecer as respostas de todas as suas duvidas existências. Sua vida presente e passada fora lhe apresentada em sucessivos flashes, ora em forma de  slides, ora em forma de  filmes em questões de segundos.  Sentiu pela primeira vez a existência da parte Espiritual do seu ser. Soube nesse instante que não era somente um corpo de carne e que existia dentro dele um Ser originalmente Puro e Divino, que o vinha acompanhando desde o despertar dos tempos.Sem precisar de palavras compreendera que o Ser que  ali se materializava, o advertira sobre os seus “descaminhos”. milhares de vezes, ao longo das suas sucessivas existências na terra,  Quanta dor e lágrimas teria evitado se tivesse ouvido as palavras de Amor e Sabedoria  que esse Mestre Interno lhe ditava diariamente, de ano em ano e de reencarnação em reencarnação.Por um instante  lágrimas começaram  a escorregar pelo rosto iluminado do Ser  Parece que com a força do olhar houvera troca de pensamentos, refletindo a dor que o Ser sentia pelos seus desacertos. Nao houveram palavras, somente pensamentos e sentimentos. Seguidamente houve uma explosão de emoções retidas no subconsciente de José durante séculos. Ele  chorou compulsivamente ...aquele choro “ vindo do fundo da Alma”. Passado algum tempo, foi se acalmando  e caiu em sono profundo.

 As sete em ponto de uma bela manhã foi acordado com um perfume  agradável  lhe invadindo as narinas. Abriu os olhos e viu o sorriso desdentado do velho Noelio que o observava com um ar de alegria enquanto fazia círculos concêntricos ao redor da sua cabeça com uma vareta de incenso. O velho bruxo, só pelo olhar de José sabia que ele tinha se libertado dos fardos  que carregava ao longo dos anos. Pode finalmente ver naquelas pupilas que a Luz da Verdade,  tinha entrado e dissipado as trevas do sofrimento e ignorância às quais se achava acorrentado. Também entendera que ele não iria  precisar mais da sua ajuda pois encontrara um amigo verdadeiro que iria a guiá-lo e acompanha-lo sempre  José  retribui o sorriso com outro cheio de Alegria, Paz e Esperança ; virou-se no chão que fizera de cama, e deu um último e  profundo  suspiro, fechando os olhos, deixando estampado no seu rosto um agradável e suave sorriso . A sua Alma retornara liberta e leve á Pátria Celestial. Na cidade abaixo se ouvia musicas natalinas e na cidade acima  um coral angelical acompanhava seu espírito cantando: “Gloria a Deus nas alturas , e PAZ na terra aos homens de Boa Vontade!


domingo, 22 de novembro de 2015

General Juan Pablo Reyes. El prócer olvidado de Bluefields.

Por Luis Sanches S.



Dice el Diccionario de la Lengua Española que prócer es una “persona de la primera distinción o constituida en alta dignidad”.
Prócer fue, entonces y sin dudas, Juan Pablo Reyes —el primer Gobernador Intendente del Atlántico General bajo soberanía nicaragüense— aunque su nombre se perdiera y olvidara en los polvorientos arcones de la historia.
El 10 de noviembre de 1894 una tropa al mando de los generales liberales Rigoberto Cabezas y Carlos Alberto Lacayo invadió el territorio de la Mosquitia para integrarlo administrativa y militarmente a Nicaragua.
De esa manera se puso fin al Protectorado inglés que imperó en nuestra Costa Atlántica durante más de doscientos años. En realidad, ya el 12 de febrero de ese año, 1894, había abdicado ante el nuevo gobierno de Nicaragua —que se instauró como consecuencia de la revolución liberal de julio de 1893— el rey mosco Robert Henry Clarence, vigésimo y último de los monarcas criollos tutelados por Inglaterra que se venían sucediendo desde 1670, cuando fue coronado el primero de ellos, Old Man I.
Pero la historia de la dominación e influencia británica en la Costa Atlántica de Nicaragua arrancó el 11 de mayo de 1655, cuando tropas inglesas se apoderaron de la isla de Jamaica y a partir de allí comenzaron a establecer nexos de dominación e influencia sobre los territorios y habitantes de la Costa Atlántica de Guatemala, Honduras, Nicaragua y Costa Rica, así como con antiguos esclavos de origen africano que escaparon de Jamaica hacia Centroamérica, en busca de la libertad.
Pues bien, al ser incorporada o anexada la Costa Atlántica al resto del territorio nacional de Nicaragua, el presidente José Santos Zelaya nombró como Gobernador-Intendente, con sede en Bluefields, a don Juan Pablo Reyes, un honesto político liberal quien muy pronto se habría de ganar el reconocimiento y el cariño de los costeños.
En efecto, aunque llegó a la Costa Atlántica prácticamente como un interventor —y así lo miraba y consideraba la población costeña—, y a pesar de que era originario de Managua, Juan Pablo Reyes ejerció su cargo y desempeñó sus funciones como un auténtico blufileño, y asumió la representación de este pueblo con tanta honestidad y ardor, que se enfrentó por él al general Zelaya, quien lo destituyó al no poder mangonearlo, al extremo de expulsarlo del país.
Juan Pablo Reyes hizo construir el primer hospital, el primer cementerio y el primer parque públicos de Bluefields. Además, mandó a erigir faros en El Bluff y Corn Island, y construyó el ahora muy prestigiado Instituto Cristóbal Colón, que ha competido con los mejores de Managua y de otros departamentos de Nicaragua como centro excelente de enseñanza secundaria. Y aunque Reyes era una persona vanidosa, que a casi todas las obras que se hicieron bajo su administración hizo que les pusieran su nombre o apellido, lo más importante es que todo lo que construyó fue de gran beneficio social, y con su don de gente se mereció el respeto y admiración de los costeños.
Juan Pablo Reyes se encariñó tanto con la Costa Atlántica, que al caer la dictadura de Zelaya el 21 de diciembre de 1909, y pudo entonces regresar a Nicaragua, no se radicó en su Managua natal sino que se fue a vivir a su amada Bluefields, donde murió y fue enterrado en el mismo cementerio que él hizo construir, en el que yacen sus restos hasta ahora.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

AUXILIO PARA OS QUE ESTAO DEIXANDO A TERRA



REZAR POR 7 DIAS. A PARTIR DO DIA DO DESENCARNE.
Amada Presença Divina “IAM, EU SOU, YO SOY”, no coração de todos os homens e mulheres. Amado Miguel Arcanjo da Libertação, Amada Legião Angélica. Em nome da humanidade da Terra, particularmente daqueles que estão sendo chamados de sua forma carnal hoje, nos demandamos:  Colocai os Anjos da Paz e da Proteção nas cercanias de seus corpos físicos e fazei com que a atmosfera do local onde ocorram seus passamentos, esteja em perfeita Paz.
 Deixai uma aura de Santidade flamejar nesta solene hora de transição em que a alma deve sair do tabernáculo  terreno e que nem tristezas nem temores devem perturbar o limiar, o degrau para uma Nova Liberdade.
Fazei com que os Anjos da Libertação encontrem cada ser, especialmente a alma de ____________, . que nenhuma corrente de vida pertencente a nossa evolução passe sem atendimento trave da conjuntura chamada “morte”.
Levai cada alma para os Templos da Misericórdia e Perdão a fim de serem envolvidos no purificador Fogo Violeta de Saint Germain. Preparais , especialmente á alma de ____________, para que entrem nos Átrios do Karma com dignidade e bem informadas, que sejam designadas para uma das Escolas dos Mestres e aprendam suas lições, baseadas em suas próprias vidas.
Poderoso Arcanjo Miguel, demandamos a Presença de Vossas Legioes (3 vezes), em socorro daqueles que estão desencarnando nos cárceres, nos campos de batalha, nas guerras,  nos hospitais, e  todos os locais de violência ao abandonos nas ruas e os que não tem ninguém para rezar por eles.
Invocamos os Senhores da Misericórdia e do Amor, para que envolvam em Sua Luz, todos os que estão para deixar a Terra, ou que acabaram de deixa-la, permiti que sejam dissolvidos suas dores e lamentos e que seus corações e lares sejam preenchidos com gratidão pela oportunidade proporcionada a seus entes queridos, de conhecerem mais liberdade e de terem progredido juntos  no Caminho da Vida.
Nos aceitamos este decreto instantaneamente realizado pelo poder do IAM, EU SOU , YO SOY. QUE ASSIM SEJA!

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

DIALOGO SOBRE LA MUERTE














DIALOGO SOBRE LA MUERTE.
“ E o túmulo que aguarda com seus fúnebres ramos.. e não saber pra onde vamos.. nem de onde viemos”
“ ..Y la tumba que aguarda com sus funébres ramos
Y no saber adonde vamos ni de donde venimos” LO FATAL…Rubén Dario.

Recuerdo que era niño cuando mi Tia Raquel , prima de mi mama, llegó  en  casa ,toda exultante y agitada, como que si hubiera ganado en la lotería. “-Zoraidaaa! Oi decir que cuando nos morimos  continuamos viviendo en otro lugar maravilloso, donde todo es felicidad..!  Era la primera vez que escuchaba hablar de la muerte de manera distinta a la “temerosa Calaca”.  Debería de tener unos 7 años. A partir de allí, tuve que depararme con ella (la Muerte, nuestra inseparable amiga), en varias ocasiones. Primero con la de mi padre cuando tenia 12 años, y después tuve que ser testigo de muertes colectivas (terremoto de Managua 1972, Guerra Civil Nicaragua 1979.).
Pero fue cuando me vine al Brasil  en  1981. que la comencé a estudiar y comprender de una perspectiva diferente a la materialista que estaba acostumbrado: de que con la muerte todo se acaba, o que nos dormimos en un largo sueño, o descansamos en paz  para después despertar para ser juzgado o que como cree la mayoría que son iludidos por padres o pastores de  que nos vamos directamente para el cielo con todo y chinelas o zapatos  luego  que morimos. En una cosa todas las religiones que he estudiado son concordantes: La sobrevivencia del Alma o Espirito. Cuanto al destino de esta, algunas tienen un denominador en común, la reencarnación  (Budista, Hinduista, y hasta la Cristiana si analizamos de perspectiva diferente los Evangelios  y el Nuevo Testamento. ) y otras que creen en la Resurrección. Este es un tema para ser debatido en otro artículo.

 Mi primer contacto sobre la inmortalidad del alma se dio en un libro de Alan Kardeck, Descodificador del Espiritismo,  que estaba en la casa de mi hermano luego que llegue de Nicaragua. Después en los estudios de la Orden Rosacruz y otros escritos espiritualistas.  A partir de ahí la muerte dejó de ser un misterio para mi. Siempre digo que cuando nacemos, entramos en el mundo de la materia ya con el pasaporte sellado para volver a la Patria Espiritual , de donde realmente somos, a cualquier dia y hora. Claro que podemos acelerar  nuestro desencarne atreves de nuestros actos  erróneamente escogidos: El Suicidio , sea directa o indirectamente. Directa cuando nosotros mismos, premeditadamente nos quitamos la vida e Indirectamente cuando por hábitos mal sanos, perjudicamos nuestro cuerpo físico (drogas licitas o ilícitas principalmente).   
Aprendí que además de tener un cuerpo físico, carnal , tenemos un cuerpo espiritual (Alma) y un Peri-Espiritual (Astral) . Que cuando el corazón deja de palpitar o las celular dejan de ser irrigadas por la sangre, sea de manera natural o artificial, y se da el últimos suspiro,  se rompe el cordón espiritual-energético  que une el cuerpo carnal al Espiritual y el Alma se desprende del cuerpo físico llevando junto su envoltorio eterico o fluidico   (cuerpo Astral o Psiquico).  Nos vamos con que los Rosacruces llaman “Personalidad  del Alma”, o sea con las características buenas y malas, nuestras virtudes y nuestros defectos, tal como somos actualmente y pasamos por un estado de ‘Transicion”, donde nos presentamos al Mundo Espiritual de acuerdo al grado de evolución que tuvimos aquí en la tierra . LA VIDA SIGUE IGUAL, como escribió su primera canción Julio Iglesias.

EL MUNDO ESPRITUAL: Es un mundo imperceptible a nuestros cinco sentidos objetivos, a excepción si la persona tiene facultad de médium  y puede tener contacto con él.  Aprendí por la religión católica que fui bautizado que uno se iba al cielo o al infierno. Después vine a entender que no existe ni uno ni el otro, por lo menos como yo lo entendía o como me educaron religiosamente. Que existen diferentes grados o submundos al que el alma va de acuerdo al grado de su evolución adquirida en la tierra, (“En la casa de mi Padre existen muchas moradas” dijo Jesús el Cristo.);  cuanto más alto el grado de evolución más cerca estará de Dios, de la felicidad y la vida eterna, cuanto  más bajo el nivel más duras son las penas a ser cumplidas en una especie de Purgatorio (Umbral para los Espiritas y Rosacruces) donde el Alma o Espirito , después de sufrir algún tiempo de perturbación,   toma consciencia   de sus fallas y deficiencias, sus falsos conceptos,  y después, por la Providencia Divina, y con el auxilio de los Espíritus Superiores, somos amprados y pasamos  a un estado intermediario  donde somos tratados en una especie de hospital o centro de recuperación , para después de  recuperado y  preparado somos impulsados para continuar nuestra  jornada evolutiva en otros mundos espirituales o volviendo a la Escuela Tierra para repetir de clase o grado que dejamos de aprovechar cuando estábamos  encarnados.  

En el mundo espiritual no cuenta los diplomas, honrarías, poder y dinero; aunque algunos se llevan esta ilusión material y mas perdida se sienta el alma cuanto más apegados a ellas (ilusiones de la materia) estén.  El alma o Espirito se  siente angustiada y en este estado de Purgación , se le afloran remordimientos, recelos, ansiedades etc  si dejó de cumplir las Leyes Divinas y se haiga presentado en este mundo con sentimientos de odio, resentimientos, mentiras, avaricia y tantos otros vicios que NO SON DEL ALMA O ESPIRITO ,   o se haya apegado más a las cosas de la carne que las del Espíritu. Ya dijo el Papa y ahora Santo Juan Pablo Segundo, “ El infierno NO EXISTE,  es un ESTADO DEL ALMA”.

Gracias a la Providencia Divina (pues Dios no desea que ninguna de su creación eternamente perdida), la mayoría tenemos la bendita oportunidad de la Reencarnación.

Algunas veces cuando me preguntan como estoy, respondo : Preparandome para ser un buen difunto!!.  O sea  aprendiendo a vivir haciendo el bien para morir bien.
Me esfuerzo constantemente a  vivir según las Leyes Cósmicas de Dios, Se que no las cumplo todas y no anhelo, por lo menos cuando me “me muera” en esta vida, entrar al cielo. Se que mis apegos a la cosas de la carne y mis vicios y mis defectos harán con que pase un tiempo en el Umbral o Purgatorio. Tiento  cultivar los Verdaderos Valores, los Valores Morales Espirituales que son eternos a pesar de vivir en un mundo material y transitorio donde los valores son invertidos a cada dia que pasa. Voy escalando grada por grada en la Escalera de la Vida, unas  veces cayendo y levantándome recomenzando otra vez , pero nunca retrocediendo a pesar de todas las probaciones y dificultades.  

Como  también escribió el poeta Nicaraguense en LO FATAL, la tumba nos aguarda con sus fúnebres ramos a todos, la cuestión es que ahora sabemos que podemos escoger para donde vamos! Ojalá un dia lleguemos al Plano que mi tia Raquel descubrió aquel día de mi infancia en que le temía a la muerte y era ignorante de las realidades Divinas.